Ipueira

O território que hoje corresponde ao município de Ipueira foi anteriormente habitado pelos pegas, nação indígena pertence à grande família dos cariris. De acordo com a tradição, seu nome vem do hibridismo de iapo (igapó) e do sufixo português eira. O nome Ipueira significa lagoeiro, terreno alagado ou represa natural.

Em 1925, Nestor Lima relatava que a fazenda Riacho Fundo, hoje a atual cidade de Ipueira, de João Manoel de Medeiros, situada no riacho dos bois, afluente do rio Sabugi e este do Seridó, pertencente ao município de Serra Negra do Norte, possuía engenho de rapadura, um pequeno açude e lavouras de cereais. Com a morte de seu proprietário, João Manoel de Medeiros, os bens repartidos entre os filhos. Entre esses, destacam-se Francisco Alencar de Medeiros e João Alencar de Medeiros, que se prontificaram a doar o terreno destinado à construção de um pequeno povoado e de uma capela em honra a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cumprindo então uma promessa feita por seu pai.

Os doadores, não querendo se encarregarem dos trabalhos de fundação e direção do povoado, fizeram um convite ao senhor Francisco Quinino de Medeiros, para que ele pudesse enfrentar a grande luta gloriosa e de honra para a família. Este, sem vacilar, pois, aceitou o convite, pois, há muito tempo, havia o desejo de trabalhar pelo engrandecimento de sua terra. Os trabalhos de desbravamento do campo para a localização do povoado foram iniciados em 3 de março de 1939 e se prolongou até junho do mesmo ano. A escritura do terreno doado, que media cem braças de frente e cento e cinquenta de fundo, foi lavrada pelo senhor José Carlos de Medeiros, que exercia o cargo de tabelião do 1º cartório de São João do Sabugi, no Rio Grande do Norte, em 27 de abril de 1939.

Em 21 de março de 1939, ao meio-dia, foi demarcada uma linha, representando o centro do povoado, em rumo ao sol que nascia naquele instante e, por conseguinte, foram marcadas as linhas laterais que formariam uma quadra em forma de xadrez. O delineamento teve como agrimensores os senhores Francisco Quinino de Medeiros (fundador) e José Horácio de Medeiros e Francisco de Assis Dantas. Já no dia 5 de agosto de 1939, foi inaugurado o povoado, assistido pelo senhor Descartes Mariz de Medeiros, prefeito municipal de Serra Negra do Norte (na época, a atual localidade de Ipueira pertencia a Serra Negra do Norte) e o padre Walfredo Dantas Gurgel, de Caicó. Este último celebrou a primeira missa rezada no povoado, no local onde estava sendo erguida uma latada para uma antiga feira, contando com a presença de um público numeroso, vindo de localidades vizinhas. Em 11 de agosto de 1946, foi inaugurado o cemitério público, pelo prefeito Jaime Faria, estando novamente presente o monsenhor Walfredo Dantas Gurgel, que fez um discurso com bonitas palavras a respeito das melhorias e do progresso que o povo estava recebendo.

Em 1 de janeiro de 1953, quando Ipueira já era pertencente a São João do Sabugi (este foi emancipado de Serra Negra do Norte em 1948), ocorreu a inauguração o Mercado Público Municipal, cujos trabalhos de construção foram iniciados pelo prefeito Dr. Gorgônio Artur da Nóbrega e concluídos durante a administração do prefeito Antônio Quintino. Quase quatro anos depois, em 31 de dezembro de 1956, o prefeito Severino de Assis Dantas inaugurou a iluminação elétrica, estando presente o dom José Adelino, Elvira Lins, demais pessoas do município e do vizinho estado da Paraíba. Em 5 de março de 1960 foi inaugurado o matadouro público na gestão do prefeito Amaury Gurgel.

Finalmente, em 31 de dezembro de 1963, desmembra de São João do Sabugi o distrito de Ipueira (por força da lei estadual nº 3.016/1963), tornando-se então novo município do estado do Rio Grande do Norte.

Síntese das Informações

Área territorial

127,348 km²   [2018]

População estimada

2.228 pessoas   [2018]

Densidade demográfica

16,31 hab/km²   [2010]

Escolarização 6 a 14 anos

98,1 %   [2010]

IDHM Índice de desenvolvimento humano municipal 0,679   [2010]
Mortalidade infantil

40,00 óbitos por mil nascidos vivos   [2013]

Receitas realizadas 12.612,49502 R$ (×1000)   [2017]
Despesas empenhadas

11.963,70255 R$ (×1000)   [2017]

PIB per capita

10.273,97 R$   [2016]

Prefeito(a):

José Morgânio Paiva